Reportagem (cor-de-rosa) sobre a Festa de Recepção à DWaC

No dia 26 de Dezembro aconteceu a festa da nossa alta sociedade mais maravilhosa da temporada em que todas as deslumbrantes Tavoleiras que apareceram, estavam esplendorosas nos seus vestidos de Alta costura, especialmente concebidos para a situação, e que vão aproveitar em festas de não tão grande impacto no próximo reveillon.

Os Tavoleiros, esses, distinguiam-se pelo seu Glamour e o traje de cerimónia da Távola deu-lhes aquele ar distinto que os distingue pela distinção, pese embora não terem estado ali exclusivamente para sua distracção mas, sobretudo, em trabalho.

A festa foi muito vibrante e animada, e teve pormenores técnicos inenarráveis por palavras.

A perigosa e difícil tarefa de libertar a DWaC do cativeiro foi levada a cabo pelo Almoxarife Ferraz e pelo Pagem Afonso, tendo este sido mordido no lábio e o Luís num dedo, mas a rápida intervenção dos cuidados intensivos permitiram estancar imediatamente o nobre sangue Tavoleiro que jorrava dos seus corpos e as nossas artes mágicas rapidamente os curaram.

Depois a montagem da mesa foi também um desafio enorme, mas os Tavoleiros demonstraram mais uma vez a sua inteligência, sagacidade e empenho apesar do esquema estar desenhado em Alemão. As instruções que, estavam em Esperanto (variante Polaca) davam alguma ajuda e por isso foi logo à 12ª tentativa que conseguimos montar a mesa, sem sobrar qualquer peça.

Claro que a nossa estratégia da União que faz a Força também resultou, pois estavam sempre disponíveis 3 ou 4 Tavoleiros para rodar as peças (pernas, tabuleiro e outras engrenagens) à volta da cabeça do parafuso, que outro tavoleiro fixava e firmava com convicção agarrando-se a ele com as duas mãos, com a Alma e com o Coração.

Para memória futura, foi filmado, sobretudo pelos Tavoleiros Destruidores (Afonso e André), o “Making of”.

Pelas imagens que já vimos, está um belo filme.

Digno de um qualquer discípulo de João César Monteiro, que nos faz lembrar o seu “Branca de Neve”, mas com mais cor e, essencialmente, com mais movimento… muito mais movimento.

E os diálogos, então, sublimes. Os 7 minutos em que uma voz off repete em tom interrogatório até à quase exaustão aquela frase poeticamente superior (“como é que se monta uma mesa”), ouvindo-se por baixo risadas contínuas, vão sem dúvida ficar na história do cinema.

Montada a mesa, Baco a baptizou e a ela se brindou consagrando-lhe o nosso grito de guerra e alguns cânticos de vitória.

Para a estreia competitiva da mesa chegaram nessa altura os nossos convidados vindos dos 4 cantos do Mundo: Desde representações nacionais como a Austrália, Jamaica, Suécia, Sérvia, Itália, Eslovénia, como clubes, como o Grémio de Portalegre, o Manchester United, o Arsenal, o Chelsea. Em representação de clubes Portugueses, estiveram presentes o Beira Mar e o Benfica. Japão e Angola desmarcaram à última hora e foram substituídos pela Argentina.

Ainda houve Tavoleiros que sugeriram que a película de plástico autocolante que vinha sobre a mesa fosse retirada, mas outros, mais responsáveis, recusaram tal ideia, porque atirar as bolas directamente sobre o tampo poderiam estragá-lo. As coisas boas e novas devem-se poupar!

Até parece que em casa deles não usam toalhas sobre as mesas!

Assim foi decidido que para proteger a DWaC se devia manter o plástico sobre ela tanto tempo quanto possível, até porque é um plástico autocolante lavável, que permitirá à mesa manter sempre o ar novo e jovem de agora.

Assim deu-se início ao torneio, muito duro e competitivo até porque era de eliminação directa, e após sucessivas eliminatórias, em que a arbitragem foi a grande protagonista tendo havido vários protestos de jogo, alguns recursos, vitórias na secretaria, e em que a Grande Final foi disputada entre a Itália e o Arsenal, onde depois de um longuíssimo esgrimir de argumentos, sorriu a vitória aos Transalpinos por 500 pontos a 400.

No fim da festa pedimos à DWaC para tirar uma fotografia, e ela, simpaticamente, posou connosco.

O problema é que não tinhamos quem fizesse o disparo pois todos queriam ficar na fotografia…

Assim não foi fácil programar o botão captador da máquina com um atraso de 2 segundos e treinar o golpe de atirar a máquina ao ar com a objectiva virada para nós de modo a captar-nos a imagem quando estivesse à distância conveniente.

Só nos treinos partimos 12 máquinas…

Mas como para a Távola nada é impossível, lá conseguimos, pese embora a fotografia tenha ficado um bocado tremida. O que se compreende porque a máquina estava em pleno voo.

E as malhas que o Destino tece? Coincidência ou não, já repararam quantos tavoleiros ficaram na fotografia?

Que seja para todos nós um óptimo Ano de 2011 cheio de Boa Disposição Tavoleira.

Advertisements

Sobre Távola

Clube de Ténis de Mesa
Esta entrada foi publicada em Notícias. ligação permanente.

5 respostas a Reportagem (cor-de-rosa) sobre a Festa de Recepção à DWaC

  1. Filomeno Fortes diz:

    O Yaoundé ficou magoado e o Mantorras está como sempre leseonado nos joelhos e convocado para o jogo por parte do Sport Lisboa e Benfica. Para além disso precisamos de um substituto para o nosso grande seleccionador Abílio Cruz que foi treinar uma equipa daí e procuramos no mercado chines.Se algum de vocês quiser-se candidatar para o cargo de seleccionador da selecção nacional de Angola é so ligar para o número 218 405 412.
    Despesso-me,
    o presidente da FATM Filomeno Fortes

  2. 高橋 diz:

    申し訳ありませんが私たちの事前通知は、来ることができない場合は馬琳は、怪我をしたと我々は時間を伝えることができない
    申し訳ありませんが、
    高橋

  3. Nuno Ferreira diz:

    AHAHAHAH, essa desculpa para a foto tremida… hahahha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s