A ilusão da liderança

E começou a 2ª volta do campeonato de séniores.

Desta vez para nós começou da melhor maneira porque fomos obter uma difícil e até supreendente vitória ao reduto do Senhora do Ó.

De registar o gesto simpático, que muito nos sensibilizou, de terem exposto o cachecol da Távola que lhes oferecemos aquando da visita deles. Bem Hajam.

Com esta vitória, e sem falsas modéstias ficou mais do que garantido o objectivo traçado para esta época de não descer de divisão e fazer um campeonato tranquilo, o que nos permitirá encarar as próximas jornadas com um total à vontade e disponibilidade para aquilo que nos move: Usufruir e degustar os Prazeres da mesa.

Como uma vez disse um dos anteriores Grão Mestres, José do Telhado (Vide “Ensinanças de um Grão Mestre”, Vol XII), o objectivo da Távola é festejar e celebrar a vitória, nem que seja apenas a vitória em 1 ponto, desde que se tenha e mantenha sempre o espírito e o pensamento de que em seguida ganharemos o ponto nº 2 e juntando-os teremos os 12 que nos move.

Não percebemos muito bem o que é que ele quis dizer com isto e, por certo, nem ele próprio o saberia, mas lá que é uma mensagem poderosa e motivadora, temos que reconhecer que sim.

O mais importante disto tudo é que subimos ao primeiro lugar.

É verdade, uma vez que o Paroquial perdeu com o Lousada, o Dramático adiou o seu jogo e o Santo Tirso, apesar de ter os mesmos pontos fica preterido pelo facto de sermos nós quem elabora a tabela classificativa.

Quem pode, pode!

Somos, por isso, líderes: O que é efémero, contingencial, enganador.

Por certo que sim, e se não estamos obcecados com o lugar que ocupamos, estamos felizes com todo o esforço e mérito que tivemos para aqui estar.

E o nosso desejo é que, se e quando o perdermos, seja com a mesma alegria e prazer em jogar Ténis de Mesa com que o alcançamos.

Para a semana não há o jogo com o Campo feminino, porque elas pediram para adiar.

Por isso o próximo compromisso da Távola passa a ser o do jogo dos nossos pagens com os jovens do Sobrão no dia 29 de Janeiro.

Vamos lá ver a Têmpera de que eles estão feitos e se são merecedores de envergar as cores e os símbolos da Távola.

O que se lhes exige é Muito para quem não seja Tavoleiro, Pouco para quem o queira ser: Dignidade, Respeito, Esforço e Dedicação – Nunca Desistir e Lutar até ao Fim.

Em seguida iremos a Vilar do Paraíso jogar com o Dramático, com quem perdemos na primeira volta, resultado que teoricamente se repetiria, caso os nossos adversários não acusem a pressão, como já lhes aconteceu nesta e em outras épocas, uma vez que a vitória é muito mais essencial para eles do que para nós.

Tem-se notado que a equipa do dramático não é muito constante e que os seus jogadores falham em momentos chave quando se deparam com dificuldades inesperadas o que constituirá o ponto mais fraco da equipa.

Mas até lá ainda muito irá acontecer.

Uma última palavra dedicada ao Hélder Nunes cujo apoio e força ao acompanhar, ou melhor, ao fazer parte da equipa, que foi à Póvoa é muito maior do que o que ele próprio imagina.

Advertisements

Sobre Távola

Clube de Ténis de Mesa
Esta entrada foi publicada em Campeonato Distrital, Notícias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s