A maldição do hino

Após a reflexão interna a que nos propusemos, finalmente percebemos tudo!

No ano passado, após a final de 10 de Abril, por graça transformamos o nosso hino de “Távola és Campeã” em “Távola és vice-campeã”.

Mas as brincadeiras pagam-se caro e fomos negligentes a ponto de não mudar o hino novamente para a matriz original de “Távola és campeã”.

E são estes pormenores, aparentemente sem importância, que fazem toda a diferença!

E aquilo que nos custou a perceber, ficou agora claro aos nossos olhos: Estava escrito, porque não mudamos o hino, que o destino se iria conjugar a ponto de a Távola ter de repetir precisamente o feito do ano passado e ser Vice-campeã para fazer jus ao Hino.

Se tivessemos mudado o hino outro galo cantaria.

Assim para que tal aconteça basta ganharmos o jogo que nos falta, na última jornada, em nossa casa contra o Sobrão.

Vai ser fácil? Não, nada neste Mundo é fácil e nós nos encarregaremos de tornar a coisa difícil.

Mas, pelo menos, sabemos que o objectivo nos foi fatalisticamente traçado, e resta esperar que haja taça para o 2º lugar.

E, já agora, um pouco menos simbólica que a do ano passado.

O programa desta semana é, então, simples:

Começou com a participação do Nuno Pacheco na classe de infantis no Torneio do Atlantico da Madalena no Domingo. O nosso Pagem não desiludiu, alcançando o apuramento para o mapa final, onde chegou aos oitavos de final caindo às mãos de um Espanhol após ter feito a tradicional eliminação do Luís Silva do Ala, mais uma vez banhada em lágrimas, após uma espectacular recuperação de 0-2 para 3-2.

Na 4ª feira fomos a Lousada confirmar a maldição do hino, onde vencemos por 4-3.

E hoje teremos na nossa sala um épico embate, na preparação da nossa participação na Taça ATMP, entre a equipa do Távola A contra a equipa do Távola B.

A Távola A é capitaneada pelo Paulo Pacheco e pelo Hélder Nunes contando nas suas fileiras com o Vasco Filipe e o Nuno Pacheco. Pela Távola B, são líderes o Agostinho Ferreira e o Leandro Sousa, militando ainda o Nuno Ferreira e o Gonçalo Ervim.

As tácticas e estratégias estão a ser delineadas com toda a mestria, com todo o empenho e com todo o secretismo: os adversários enfrentar-se-ão sem dó nem piedade.

Aceitam-se apostas, mas o meu palpite, infalível como é costume, é que a Távola vencerá.

Advertisements

Sobre Távola

Clube de Ténis de Mesa
Esta entrada foi publicada em Campeonato Distrital, Notícias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s