Às vezes é assim…

Há certas coisas com que não se brinca. E não podemos desperdiçar os avisos do transcendente.
O não ter jogado no dia 12 foi um desafio além do desafio e não correu bem.
As expectativas eram altas, e o jogo prometia.

Logo de manha, nos iniciados, tivemos um Vitoriano no treino, e como prevíamos no último post, vencemos.

Partíamos em vantagem.

Mas as atribulações de ter de levar a casa às costas (tivemos de carregar os separadores e o resto do material, e montá-lo todo mesmo antes do jogo, o que é uma carga de trabalho insuportável) impediram-nos de nos focar no que é importante.

Depois, não investimos o suficiente em dar informações erradas quanto à localização da sala ao Vitória e só conseguimos enviá-los para o Centro Escolar de Mouriz, mas eles depois, por artes do diabo, apesar do engano inicial, conseguiram dar com a sala, ao contrário do árbitro, que deve ter ido parar a Conchichina, uma vez que não apareceu.

No lançamento do jogo, quisemos vingar-nos do Manuel Silva, repetindo a brilhante estratégia que nos conduziu à derrota por 4-1 na nossa 1ª final em 10 de abril de 2010. E a coisa repetiu-se: O Carlos gastou fogo contra o 3º jogador do Vitória, perdemos o par por 3 pontos na negra e saímos derrotados por um aparentemente desequilibrado 4-1.

De registar fica a boa réplica quer do Vítor Silva, quer, principalmente do Luís Ferraz, nos seus jogos, em que não perderam por 3-0, e, principalmente, o jogo do carlos que esteve consistente, eficaz e apenas com uma ligeira falha de concentração num dos jogos, em que permitiu ao adversário fazer 4 pontos seguidos, mas que imediatamente corrigiu vencendo por um esclarecedor 3-0.

Moral da história: Não há nada de novo sob o céu da Dinamarca.
Assim contando com a nossa vitória em iniciados de manhã e a derrota da tarde, ficamos empatados embora só a vitória do Vitória da tarde, para as contas do campeonato é que conte.
Ficou já marcada a partida para o desempate na 2ª volta do campeonato em Guimarães.

Pontos Positivos:
1) Ninguém se magoou, nem tomou banho.
2) Esteve imenso público, mais de 20 pessoas, nossos amigos e amigas a quem muito agradecemos a sua presença e o seu incentivo.

Negativo: Esquecemo-nos de tirar uma fotografia de conjunto, com o público e outra com os nossos amigos do Vitória para preservar este jogo para a posteridade.

Mas não há problema, fica para a próxima e a próxima ficando na história como a 1ª vez (registada) sempre poderá ser, como esperamos, uma vitória.

Venham, pois, os próximos desafios, estaremos preparados para eles.
E os próximos desafios são: 14 Outubro: Torneio do Valongo; 19 Outubro: 1ª jornada do campeonato distrital; 20/21 Outubro: Torneio do Ala de Gondomar.

Advertisements

Sobre Távola

Clube de Ténis de Mesa
Esta entrada foi publicada em Campeonato Nacional. ligação permanente.

Uma resposta a Às vezes é assim…

  1. Manuel Silva diz:

    Acima de tudo, os meus parabens pela hospitalidade, boa sala e assistência (coisa rara infelizmente).
    De facto, o resultado não reflecte o empenho dos jogadores tavolenses, principalmente no jogo de pares. Enfim, só vos desejo boa sorte para o muito campeonato que ainda falta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s